Cuscuz de Milho

3 maio


Definitivamente, “cuscuz” foi uma das primeiras palavras que me preocupei em escrever certo. Pergunte a qualquer um que tenha intimidade comigo: eu sou capaz de comer cuscuz todos os dias. T-O-D-O-S. Namorido, sertanejo lá do interior da Bahia, sofre com minha capacidade, e quando faço com muita frequência faz aquela cara de “ai, essa menina da cidade deslumbrada”. Com um ovo mexido e manteiga de garrafa, é possível que eu coma uma porção para quatro pessoas, para desespero geral da nação. Não, eu não meço meu colesterol regularmente, obrigado.

A massa de milho cozida numa panela à vapor sempre esteve na mesa, desde que eu me mudei pra Salvador, nos idos de 1993. Muito provavelmente, meu pai, de volta ao estado natal, se refestelava comendo as coisas que sentira saudade no Rio de Janeiro. E o cuscuz estava lá, junto com sua xícara de café com leite e a manteiga Aviação. Claro que não sei quando comecei a comer, mas minha mãe diz que morando na Bahia, logo virei a menina-cuscuz e também a menina-farofa-da-praia. Eu sempre passava mais manteiga do que devia, e mamãe regulava a quantidade de ovos que acompanhavam. “Se eu deixar, você come todo dia”, reclamava. Eu era uma criança mono-temática e cri-cri, um dia desses conto da época que só comia pepino com purê de batata. Quando minha mãe dizia que não podia, eu lembro de uma babá de lá que fazia uma misturinha de leite com coco pra jogar em cima – leite, côco ralado e açúcar – meio que uma coisa do Recôncavo. Cuscuz com suco de maracujá foi meu café da manhã por muito tempo.

Quando eu ia pra casa da minha avó paterna, no interior, a experiência era ainda mais prazerosa. Todo dia, bem cedinho, ia comprar leite pra ela. Leite de vaca recém-tirado, que eu tomava com achocolatado e açúcar, bem quentinho – no frio que fazia de manhãzinha. Comia o cuscuz dela, que é cheio dos quiproquós: a massa tem que descansar 10 minutos e precisa misturar tapioca seca pra dar a liga – uma irmã um pouco mais granulada do polvilho de mercado, que substitui bem. Lá podia tudo, ovo caipira da gema vermelha e muita manteiga de garrafa. Me fartava.

Na mudança pra Brasília, sem cuscuzeira por um tempo, o café da manhã teve que mudar. Quando visitava o ainda namorado, achava graça das invenções de seus roomates. Eles também não tinham a panela pra fazer, então improvisavam uma cuscuzeira: tiravam a válvula da panela de pressão e colocavam em seu lugar um pote vazio de margarina com um furo embaixo, direcionando o ar da pressão pra dentro do pote. Tampavam o pote e deixavam a massa lá durante uns 5 minutos, e tinham um cuscuz individual no fim desse tempo. Eu que não tenho medo de panela de pressão ficava bastante tensa, achando que o pote de margarina ia explodir lançando grumos de massa de cuscuz pelando, mas nunca ouvi falar sobre nenhum acidente. Namorado, tentando me ganhar e conseguindo, fazia cuscuz pra mim nesse armengue. É pena que não tenho fotos. Mais um DIY de estudantes durangos morando fora de casa.

O cuscuz que me faz ter um dia feliz é esse, de feitura simplória., como costumam ser as receitas de cuscuz que recebem o rótulo questionável de “nordestinos”. Mas as variações são muitas, tio google pode mostrar pra vocês, como o cuscuz “paulista” que é cozido no vapor com vários acompanhamentos.  Vale o que mais vocês quiserem.

Cuscuz de milho

20 minutos para alimentar 2 famintos (ou uma Taís)

Precisa de quê?

  • 2 xícaras de farinha de milho tipo Flocão
  • 3/4 de xícara de água
  • 1 colher de sopa de tapioca seca/polvinho
  • Sal marinho e pimenta do reino à gosto
  • 2 ovos

Faz assim, ó

  1. Em uma tigela grande, despeje a farinha de milho, a tapioca, o sal e a pimenta. Misture.
  2. Aos poucos, despeje a água. A quantidade varia de acordo com a umidade do dia, essa é a quantidade que uso num dia normal em Brasília (70%UR). A textura que a mistura tem que ter é de uma farofa bem úmida.
  3. Você pode esperar a massa descansar por 10 minutos. Mas eu sempre pulo essa parte!
  4. Encha a parte baixo da cuscuzeira com água até a metade. Encaixe o suporte do cuscuz. Despeje a massa, mas NÃO aperte. Ela precisa estar soltinha pra cozer.
  5. Tampe a panela e deixe cozinhar.
  6. Quando está pronta, você sente o cheiro do cuscuz. Isso significa que o vapor da água fervendo embaixo atravessou toda a mistura. Ou, sem poesia, deixe por 10-15 minutos.
  7. Pra ter certeza de que está pronta, coloque uma colher dentro da massa. Precisa estar “liguenta” (meu baianês não me permitiu achar nenhum sinônimo).
  8. Antes de desligar o fogo, quebre dois ovos crus sobre a massa dentro da cuscuzeira. Tampe de novo. Se gostar com gema mole, 2 minutos é suficiente. Para gema sem emoção, como diz o Vítor, 4 minutos.
  9. Separe sua porção no prato com uma passadinha de manteiga. Se for uma boa manteiga de garra, melhor ainda.

Quê mais?

  • Você pode substituir o ovo por cima por queijo.
  • Dizem que se você usar vinagre na água, a panela não mancha – mas eu tenho preguiça-mor de fazer essas coisas, então alguém confirme.
Anúncios

3 Respostas to “Cuscuz de Milho”

  1. Juliana fevereiro 15, 2013 às 2:53 pm #

    Nunca fizemos cuscuz com tapioca aqui ;_;
    Vai pra lista das coisas a tentar.
    Cuscuz com ovo frito e gema mole é muito bom. *-*
    Aqui em casa a mãe inventou uma receita com erva-doce, banana passa e queijo minas, na massa. Fica gostoso, também…

    fora de foco: já leste Como água para chocolate? Receitas têm tudo a ver com histórias. ❤

    • Taís fevereiro 15, 2013 às 3:08 pm #

      Receitas são histórias, preta!

      • Juliana fevereiro 20, 2013 às 10:51 am #

        Tens razão. Histórias deliciosas, muitas vezes. Curti o blog. Cadê aquela série de posts sobre o kit de sobrevivência (era isso? rs)?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: